Pular para o conteúdo principal

OS PERIGOS DE UM CORAÇÃO LONGE DE DEUS

Fuja dos desejos do seu coração.

O Espírito de Deus não fica contendendo para sempre com o homem (Genesis 6.3). Quando Ele Se cansa, entrega a pessoa ao desejo do seu coração, e, então, ele deixa de ser guiado pelo Senhor e de ser repreendida quando erra, passando, assim, a andar segundo os próprios conselhos. Pobre dessa alma, pois sofrerá muitas agruras que poderiam ser evitadas se tivesse dado ouvidos ao Único que vê e sabe tudo.
Pelo que eu os entreguei aos desejos do seu coração, e andaram segundo os seus próprios conselhos (Salmos 81.12).
     
     NÃO SEJA ILUDIDO PELOS DESEJOS DO SEU CORAÇÃO
    
  Não há nada mais perigoso do que alguém atender às próprias vontades. Quando essas vêm do Pai, em razão de a pessoa ter dado ouvidos à Palavra DELE, tudo é mais fácil, pois os anseios que surgem para realizá-las têm no Senhor o seu Cumpridor.
    No entanto, quando o homem não ouve a bendita voz dos céus, não cumpre o que lhe é dito, o Todo-Poderoso, conseqüentemente, abandona-o à sua teimosia. O que resta e confusão, sofrimento e muita lágrima. Além disso, o diabo, que o enganou, ajuda-o a dar mais cabeçadas. O homem natural não tem condições de saber coisa alguma do mundo espiritual (1 Coríntios 2.14).
   Ele tem olhos mais não vê; têm ouvidos, mas não ouve, e sua mente não consegue entender o que passa além de uma parede. Então, andando guiado pelo que acha ser certo e fazendo a vontade da carne ou de alguém mais, ele cairá na cova, como quando um cego se propõe a guiar outro (Efésios 2.1-3; Lucas 6.39).
    
   NÃO SIGA OS DESEJOS DO SEU CORAÇÃO


    O Altíssimo ficou cansado com o fato de Israel não querer ouvi-LO. Dura pena esse povo sofreu, mas seu futuro poderia ter sido brilhante. Hoje, se os servos do Senhor continuarem dando atenção aos autodenominados “profetas”, terão de provar o mesmo que os israelitas provaram: a entrega aos desejos do seu coração.
   A luz brilha sempre que se lê ou se ouve a Palavra. Essa iluminação é a direção que Deus dá. Entretanto, quando, por repetidas vezes, alguém fecha o coração para o que Ele lhe está mostrando, o tombo é certo e inevitável (Provérbios 29.1). Israel não quis ouvir, estava decidido a fazer o que bem desejasse e queria independência de seu Libertador. Como resultado, pagou um preço por demais alto.

Não são poucos os que compram, vendem, casam-se, viajam e tomam as mais diversas decisões sem consultar Aquele que só sabe fazer o bem. Depois, quando descobrem que agiram de forma errada, ainda culpam o Altíssimo por não os ter impedido de tropeçar.
   No entanto, quem faz o que quer – ou quem não dá a devida atenção ao Mestre – vai tropeçar e cair, pois não há quem consiga vencer sem a ajuda do Senhor.

TEXTOS CITADOS:
ü  (Genesis 6.3) è Então disse o Senhor: "Por causa da perversidade do homem, meu Espírito não contenderá com ele para sempre; e ele só viverá cento e vinte anos"
(Salmos 81.12) è Pelo que eu os entreguei aos desejos do seu coração, e andaram segundo os seus próprios conselhos.
ü  (1 Coríntios 2.14) è Quem não tem o Espírito não aceita as coisas que vêm do Espírito de Deus, pois lhe são loucura; e não é capaz de entendê-las, porque elas são discernidas espiritualmente.
(Efésios 2.1-3) è Vocês estavam mortos em suas transgressões e pecados, nos quais costumavam viver, quando seguiam a presente ordem deste mundo e o príncipe do poder do ar, o espírito que agora está atuando nos que vivem na desobediência. Anteriormente, todos nós também vivíamos entre eles, satisfazendo as vontades da nossa carne, seguindo os seus desejos e pensamentos. Como os outros, éramos por natureza merecedores da ira.
ü  (Lucas 6.39) è Jesus fez também a seguinte comparação: "Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois no buraco?
ü  (Provérbios 29.1). Quem insiste no erro depois de muita repreensão, será destruído, sem aviso e irremediavelmente.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O GRITO QUE PAROU JESUS

Havia um homem interessante que andava sempre de bermudas, chinelos, com a barba crescida, e com os cabelos desalinhados! Ele parecia mesmo como um “doidão varrido”, precisava ver só! Era uma figura! O que ele fazia? Ele, simplesmente gritava e gargalhava! Ele parecia que não parava para comer! Era pelas manhãs, às vezes pelas tardes, noites, e também pelas madrugadas da vida! Ele incomodava, viu? Um grito primeiro e, depois, outro grito, complementando o primeiro e era assim que ele fazia: Primeiro: -“ Eu vou dar um grito, aqui, heim!” Segundo: - “Não faz isso, não!” Depois, soltava uma gargalhada gostosa: “Quá - Quá - Quá - Quá – Quá!” Andava, um pouco mais, e explodia outra! Mas, a bem da verdade, aquele era um GRITO INÚTIL! Era um grito incômodo, como o de Bartimeu. Ele estava gritando, ainda que de forma ERRÔNEA, mas gritava a dor do “eu” sozinho, da carência afetiva que, certamente, lhe faltava , ou a dor da incompreensão, da falta de seus parentes ou amigos, a dor dos incomodados que quer…

CADÊ A ALIANÇA DO CORAÇÃO?

— E aí, tudo bem? — pergunto. — Ah, mais ou menos — ela responde. Já vejo na resposta que ela precisa e quer desabafar. Vou perguntando, até que ela desabafa... — Olha, eu recebo as coisas que eu quero, mas minha vida não muda. Eu vou à igreja, oro por minha família e por minha vida financeira, vejo resultados, mas ainda falta algo. Acabei de chegar de uma reunião abençoada em uma de nossas igrejas e, ao fim, estava conversando com essa senhora e resolvi escrever sobre o episódio. Enquanto ela falava, eu prestava atenção olhando para a aliança em meu dedo e foi quando as palavras me vieram: - A senhora está vendo essa aliança? Sabe o que ela significa?
Ela me olhou espantada, deve ter pensado que eu era uma louca, pois não tinha nada a ver com o assunto, mas agora toda sua atenção era minha. Meu marido estava no altar aconselhando, eu apontei para ele e disse: — Quando me casei com ele, eu me comprometi a cuidar dele, ser fiel, ser companheira, fazê-lo feliz e amá-lo de todo coração. …

3. A BÊNÇÃO DE OFERTAR

Devemos entender a benção de ser um ofertante.
Tudo que for semeado produzirá. Quem plantar pouco colherá pouco. Mas aquele que for generoso no ofertar ceifará de modo abundante, pois agrada a Deis. Dessa forma, o poder do Altíssimo operará com liberalidade em seu viver. Pela declaração do apostolo, para quem semeia com mãos fartas, o retorno será na mesma proporção. (2 Coríntios 9.6) Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.

OFERTA É SINAL DE OBEDIÊNCIA
Nessa passagem, Paulo discorreu mais sobre o ato de ofertar. Sem duvida, Deus não age com ganância – mas com amor – quando nos toca a fim de que contribuamos com certa oferta. É o seu amor paterno que nos fala ao coração a quantia exata a ser doada, e ela não fará falta; ao contrario, trará um retorno abundante.
Quem pouco semeia também colhe pouco, pois essa colheita vem sem a abundância referida na Palavra. Por outro lado, aquele que não é regrado no dar e ofer…