Pular para o conteúdo principal

O AZEITE DA VIÚVA

2Rs 4:1-7 CERTO DIA, a esposa de um dos alunos do seminário procurou Eliseu, e contou a ele que seu marido havia morrido...

Às pessoas pobre ou aos devedores lhes permitia pagar suas dívidas vendendo-se a si mesmos ou a seus filhos como escravos. Deus ordenou aos ricos e aos credores que não se aproveitassem desta gente em seus momentos de necessidade extrema (veja-se Dt 15:1-18 para uma explicação destas práticas). O credor desta mulher não estava atuando no espírito da lei de Deus. O ato bondoso do Eliseu demonstra que a compaixão vai mais à frente do simples cumprimento de uma lei. Nós também devemos mostrar compaixão.

Quando lemos o Antigo Testamento, é fácil centrar nossa atenção no julgamento severo de Deus sobre os rebeldes e minimizar seu cuidado amoroso para aqueles que o amam e o servem. O vê-lo obrando, provendo provisões diárias para seus seguidores nos ajuda a manter em uma perspectiva adequada seu julgamento severo para o que não se arrepende.

A mulher e seus filhos recolheram vasilhas de seus vizinhos e começaram a enchê-los com o azeite de uma única vasilha que possuíam. O azeite provavelmente era de oliva. usava-se para cozinhar, e como combustível para os abajures. O azeite deixou de sair só quando já não tiveram mais recipientes. O número de vasilhas que reuniram foi um indício de sua fé. A provisão de Deus foi tão grande como sua fé e disposição a obedecer. Tome cuidado de não limitar as bênções de Deus por falta de fé e de obediência. Deus é capaz de dar muito mais abundantemente do que pedimos ou imaginamos (Ef 3:20).

Em Cristo
Marcos Ferreira
27/08/2012

Referencias:
2Rs 4:1-7 (1) CERTO DIA, a esposa de um dos alunos do seminário procurou Eliseu, e contou a ele que seu marido havia morrido. "O senhor sabe que ele era um homem que amava a Deus, " disse ela. "Agora ele morreu, e os credores vieram cobrar as dividas dele; se eu não puder pagar, eles vão levar meus dois filhos como escravos. " (2) "E que é que eu posso fazer? " perguntou Eliseu. "Quanto de alimento a senhora tem em casa? " "Não tenho nada, a não ser uma garrafa de azeite, " respondeu a mulher. (3) "Então vá aos vizinhos e amigos, e peça que lhe emprestem muitas vasilhas vazias: garrafas, jarras, potes! " disse o profeta. (4) "Depois entre em sua casa com seus filhos e feche a porta. E então comece a encher as vasilhas vazias com o azeite que a senhora tem na garrafa, e vá pondo de lado as que estiverem cheias! " (5) Assim ela fez. Os filhos iam trazendo as vasilhas vazias, uma a uma, e ela ia enchendo e colocando de lado, (6) Logo todas as vasilhas estavam cheias até à boca! "Tragam mais uma vasilha", disse ela aos filhos. E eles responderam: "Já lhe entregamos todas, mamãe; não há mais nenhuma. " Então se acabou o azeite da garrafa! (7) Ela correu a contar ao profeta Eliseu o que havia acontecido. E ele disse: "Agora vá vender todo o azeite; com o dinheiro a senhora paga as dividas, e ainda sobrará bastante para viver com os seus filhos!

Dt 15:1-18 (1) "AO FIM DE CADA sete anos, serão canceladas todas as dívidas! (2) Assim, será feito isto: Todo credor dará ao devedor um documento de quitação da conta, como se tivesse recebido o pagamento. Não exigirá do próximo ou do irmão pagamento nenhum. O Senhor é quem determina essa forma de resgate. (3) Isto não é aplicável aos estrangeiros, de modo que deles vocês poderão continuar cobrando. As dívidas do seu irmão ou do seu patrício terão de ser perdoadas e quitadas como se tivessem sido pagas. (4) Fazendo assim, ninguém vai ficar pobre, pois o Senhor nosso Deus derramará abundantes bênçãos sobre vocês, na terra que dele vão receber. (5) A condição para que sejam abençoados ricamente é que obedeçam, ponto por ponto, a todos os mandamentos que o Senhor nosso Deus ordena, e que eu estou comunicando hoje a vocês. (6) Então Ele abençoará vocês, como prometeu. Assim Israel emprestará dinheiro a muitas nações, mas nunca precisará tomar emprestado! Dominará sobre muitas nações, mas elas não terão domínio sobre Israel! (7) Entretanto, se quando estiverem vivendo na terra que o Senhor está dando a vocês, houver algum pobre, não fechem nem o coração nem as mãos para ele! (8) Ao contrário, abram as mãos e emprestem ao Pobre tudo o que falta a ele, de modo que sejam atendidas todas as necessidades dele. (9) Muita atenção! Não negue empréstimo ao pobre só porque está perto o ano do cancelamento das dívidas! É vil essa atitude! Se fizer isso, o necessitado clamará ao Senhor, e aquela recusa pesará na conta dos seus pecados! (10) É preciso que empreste ao pobre, e que, ao emprestar, não fique reclamando por isso! Pois o Senhor dará sucesso a você no serviço e em tudo quanto programar, em atenção àquela beneficência! (11) Pois nunca deixará de haver pobres na terra; daí a necessidade deste mandamento. Empreste, pois, generosamente aos irmãos pobres e necessitados! (12) Quando você comprar um escravo hebreu - homem ou mulher - ele ficará a seu serviço por seis anos. No final do sexto ano, você deixará que ele saia livre. (13) E quando for embora, não deixe que vá de mãos vazias! (14) Dê a ele generosa provisão - de animais do seu rebanho, de vinho, e de suas colheitas. Compartilhe com ele tudo quanto você recebeu do Senhor nosso Deus. (15) Lembre que Israel foi escravo no Egito, e que foi resgatado pelo Senhor nosso Deus. Por isso, Ele ordena este mandamento. (16) Mas se o escravo hebreu não quiser sair de sua casa - se afirmar que gosta de você e da sua casa, e que se sente bem ali – (17) então pegue um furador, fure a orelha dele, usando a porta como ponto de apoio, e daí por diante ele será seu escravo para sempre. A mesma coisa com as escravas. (18) Quando, porém, você libertar um escravo ( ou escrava ), não ache ruim. Basta lembrar que por seis anos prestou serviços a você, custando o sustento dele a metade do salário de um empregado braçal pago por dia de trabalho! E obedecendo assim, de coração, o Senhor abençoará você em tudo que fizer. 

Ef 3:20-21 (20) Agora, glória seja dada a Deus, que pelo seu grandioso poder operando em nós é capaz de fazer muito mais do que nós jamais ousaríamos pedir ou mesmo imaginar, infinitamente além de nossas mais sublimes orações, anseios, pensamentos ou esperanças. (21) A Ele seja dada glória por todo o sempre, pelos séculos sem fim, por causa de Seu plano soberano de salvação para a igreja por meio de Jesus Cristo.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O GRITO QUE PAROU JESUS

Havia um homem interessante que andava sempre de bermudas, chinelos, com a barba crescida, e com os cabelos desalinhados! Ele parecia mesmo como um “doidão varrido”, precisava ver só! Era uma figura! O que ele fazia? Ele, simplesmente gritava e gargalhava! Ele parecia que não parava para comer! Era pelas manhãs, às vezes pelas tardes, noites, e também pelas madrugadas da vida! Ele incomodava, viu? Um grito primeiro e, depois, outro grito, complementando o primeiro e era assim que ele fazia: Primeiro: -“ Eu vou dar um grito, aqui, heim!” Segundo: - “Não faz isso, não!” Depois, soltava uma gargalhada gostosa: “Quá - Quá - Quá - Quá – Quá!” Andava, um pouco mais, e explodia outra! Mas, a bem da verdade, aquele era um GRITO INÚTIL! Era um grito incômodo, como o de Bartimeu. Ele estava gritando, ainda que de forma ERRÔNEA, mas gritava a dor do “eu” sozinho, da carência afetiva que, certamente, lhe faltava , ou a dor da incompreensão, da falta de seus parentes ou amigos, a dor dos incomodados que quer…

CADÊ A ALIANÇA DO CORAÇÃO?

— E aí, tudo bem? — pergunto. — Ah, mais ou menos — ela responde. Já vejo na resposta que ela precisa e quer desabafar. Vou perguntando, até que ela desabafa... — Olha, eu recebo as coisas que eu quero, mas minha vida não muda. Eu vou à igreja, oro por minha família e por minha vida financeira, vejo resultados, mas ainda falta algo. Acabei de chegar de uma reunião abençoada em uma de nossas igrejas e, ao fim, estava conversando com essa senhora e resolvi escrever sobre o episódio. Enquanto ela falava, eu prestava atenção olhando para a aliança em meu dedo e foi quando as palavras me vieram: - A senhora está vendo essa aliança? Sabe o que ela significa?
Ela me olhou espantada, deve ter pensado que eu era uma louca, pois não tinha nada a ver com o assunto, mas agora toda sua atenção era minha. Meu marido estava no altar aconselhando, eu apontei para ele e disse: — Quando me casei com ele, eu me comprometi a cuidar dele, ser fiel, ser companheira, fazê-lo feliz e amá-lo de todo coração. …

3. A BÊNÇÃO DE OFERTAR

Devemos entender a benção de ser um ofertante.
Tudo que for semeado produzirá. Quem plantar pouco colherá pouco. Mas aquele que for generoso no ofertar ceifará de modo abundante, pois agrada a Deis. Dessa forma, o poder do Altíssimo operará com liberalidade em seu viver. Pela declaração do apostolo, para quem semeia com mãos fartas, o retorno será na mesma proporção. (2 Coríntios 9.6) Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.

OFERTA É SINAL DE OBEDIÊNCIA
Nessa passagem, Paulo discorreu mais sobre o ato de ofertar. Sem duvida, Deus não age com ganância – mas com amor – quando nos toca a fim de que contribuamos com certa oferta. É o seu amor paterno que nos fala ao coração a quantia exata a ser doada, e ela não fará falta; ao contrario, trará um retorno abundante.
Quem pouco semeia também colhe pouco, pois essa colheita vem sem a abundância referida na Palavra. Por outro lado, aquele que não é regrado no dar e ofer…