Pular para o conteúdo principal

GADITAS

“Dos gaditas se passaram para Davi, ao lugar forte no deserto, homens valentes preparados para a guerra, que sabiam manejar escudo e lança ”(I Cr 12:8).


Os gaditas eram valentes e destemidos e, onde chagavam, transformavam o lugar. Na história de Israel, não há um registro de derrota das guerras onde os gaditas estiveram envolvidos.
Examinando as escrituras vemos os gaditas constantemente relacionados á guerra, seu pai mesmo profetizou em Gn 49:19 que ele seria perseguido por tropas de guerrilheiros, mas também disse, que por fim ele os perseguiria.
Portanto ser um gadita é estar envolvido em batalhas, mas creia, vitória ele trará sobre você!
Davi permaneceu por muito tempo morando no deserto e em cavernas, quando era fugitivo de Saul. Um dia, ouviu dizer que os gaditas estavam indo ao seu encontro. Ao ouvir tal informação, ele foi antes ao encontro deles, pois sabia que nunca haviam perdido uma guerra. Um dos filhos dos gaditas se apressou e disse a Davi que a entrada deles era de paz e de conquista.
A Bíblia relata que esse jovem profetizou para o rei Davi e as palavras por ele emitidas trouxeram consolo. Naquele momento, Davi foi consolidado. E os gaditas se uniram a Davi e tornaram-se capitães de tropas.
Após a morte de Saul, rei de Israel, Davi foi ungido rei sobre Israel, conforme a palavra do Senhor dita pelo sacerdote Samuel (I Samuel 16). Como rei, Davi enfrentou muitas guerras e tornou-se muito poderoso porque o Senhor Deus dos Exércitos era com ele (I Crônicas 11:9).
O rei Davi contava com um exército muito forte, liderado por homens valentes, verdadeiros heróis que o apoiaram fortemente em seu reino.
Entre esses homens valentes, um grupo muito especial se destaca pelas características que lhes são atribuídas. Vejam só: valentes; prontos para a guerra; com as armas preparadas nas mãos; rostos como de leão (assustadores) e velozes como as corças. Eram os gaditas. E veja que coisa interessante: a Bíblia diz que o menor valia por cem e o maior por mil!! (I Crônicas 12:14). Isso é tremendo!
Mas o que isso tem a ver com você?
É muito simples. Vivemos em uma guerra constante contra o inferno. Satanás, nosso inimigo, vive, constantemente, buscando maneiras de nos tirar dos caminhos do Senhor, da santidade e da fé. Essa luta não é contra pessoas ou coisas, mas contra os principados e potestades da maldade, contra satanás e seus demônios (Efésios 6:12). Nessa guerra é preciso ser valente, estar preparado, com a arma em punho e a coragem de um leão. Um verdadeiro gadita.
O Senhor está levantando uma nova geração de guerreiros, tementes a Ele, adestrados na Sua Palavra, para entrarem nessa guerra. E você foi chamado para fazer parte desse exército, um verdadeiro valente de Deus, para conquistar territórios para o Senhor.
Já sei! Com certeza você nunca pensou em ser um soldado, muito menos de entrar em uma guerra ou conquistar territórios. Guerra só de brincadeira, nõo é? É provável que você se ache muito pequeno e fraco para lutar contra algo que parece tão grande e tem um nome que dá medo, como principado ou potestade. Não é mesmo?
Calma. Não se assuste, pois o Grande General deste exército é, o Senhor Deus Todo Poderoso, que já preparou para você uma armadura especial que irá lhe guardar da cabeça até os pés, para que você possa resistir ao dia mau, isto, ao dia da guerra (Efésios 6:13-18). Sua armadura tem um capacete especial para guardar a sua cabeça, uma couraça de justiça para proteger o seu corpo, calçados para os seus pés não vacilarem, um cinto que lhe dá segurança com a verdade, um escudo de fé e uma espada que nunca falha. Ah! E tem mais, você já entra na guerra com um decreto de vitória: Você já é muito mais que vitorioso em Cristo Jesus e o seu inimigo já sabe que, embora lute, já está derrotado.
Os gaditas são linha de frente de guerra. Andam unidos em um só propósito. Eram 11 homens, 12 com Davi e tinham o caráter do seu líder.
Eram valentes. Ousados. A unção do gadita é para conquista de território. Você é um líder de guerra para arrancar as vidas das garras do inimigo e lutar pela consolidação de suas conquistas. Davi foi um tremendo conquistador, mas graças à ajuda de seus homens. O gadita é vitorioso. Ele tem cara de leão e garras de leão. Ele não é abatido na guerra. Escudo e lança são armas de ataque e defesa. Há momentos que você precisa atacar e outros que você precisa defender. Quem usa escudo e lança tem que ser adestrado. No mundo espiritual o gadita é um guerreiro adestrado. As flechas que Deus te der serão lançadas e atingirão o seu alvo. O gadita sabe o momento de atacar e de defender.
Aliste-se nesse exército vitorioso. Use a armadura que está à sua disposição. Levante a lança profética e avance rumo a conquista!

http://pastoroleto.blogspot.com.br/2012/03/gaditas.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

O GRITO QUE PAROU JESUS

Havia um homem interessante que andava sempre de bermudas, chinelos, com a barba crescida, e com os cabelos desalinhados! Ele parecia mesmo como um “doidão varrido”, precisava ver só! Era uma figura! O que ele fazia? Ele, simplesmente gritava e gargalhava! Ele parecia que não parava para comer! Era pelas manhãs, às vezes pelas tardes, noites, e também pelas madrugadas da vida! Ele incomodava, viu? Um grito primeiro e, depois, outro grito, complementando o primeiro e era assim que ele fazia: Primeiro: -“ Eu vou dar um grito, aqui, heim!” Segundo: - “Não faz isso, não!” Depois, soltava uma gargalhada gostosa: “Quá - Quá - Quá - Quá – Quá!” Andava, um pouco mais, e explodia outra! Mas, a bem da verdade, aquele era um GRITO INÚTIL! Era um grito incômodo, como o de Bartimeu. Ele estava gritando, ainda que de forma ERRÔNEA, mas gritava a dor do “eu” sozinho, da carência afetiva que, certamente, lhe faltava , ou a dor da incompreensão, da falta de seus parentes ou amigos, a dor dos incomodados que quer…

CADÊ A ALIANÇA DO CORAÇÃO?

— E aí, tudo bem? — pergunto. — Ah, mais ou menos — ela responde. Já vejo na resposta que ela precisa e quer desabafar. Vou perguntando, até que ela desabafa... — Olha, eu recebo as coisas que eu quero, mas minha vida não muda. Eu vou à igreja, oro por minha família e por minha vida financeira, vejo resultados, mas ainda falta algo. Acabei de chegar de uma reunião abençoada em uma de nossas igrejas e, ao fim, estava conversando com essa senhora e resolvi escrever sobre o episódio. Enquanto ela falava, eu prestava atenção olhando para a aliança em meu dedo e foi quando as palavras me vieram: - A senhora está vendo essa aliança? Sabe o que ela significa?
Ela me olhou espantada, deve ter pensado que eu era uma louca, pois não tinha nada a ver com o assunto, mas agora toda sua atenção era minha. Meu marido estava no altar aconselhando, eu apontei para ele e disse: — Quando me casei com ele, eu me comprometi a cuidar dele, ser fiel, ser companheira, fazê-lo feliz e amá-lo de todo coração. …

3. A BÊNÇÃO DE OFERTAR

Devemos entender a benção de ser um ofertante.
Tudo que for semeado produzirá. Quem plantar pouco colherá pouco. Mas aquele que for generoso no ofertar ceifará de modo abundante, pois agrada a Deis. Dessa forma, o poder do Altíssimo operará com liberalidade em seu viver. Pela declaração do apostolo, para quem semeia com mãos fartas, o retorno será na mesma proporção. (2 Coríntios 9.6) Lembrem-se: aquele que semeia pouco, também colherá pouco, e aquele que semeia com fartura, também colherá fartamente.

OFERTA É SINAL DE OBEDIÊNCIA
Nessa passagem, Paulo discorreu mais sobre o ato de ofertar. Sem duvida, Deus não age com ganância – mas com amor – quando nos toca a fim de que contribuamos com certa oferta. É o seu amor paterno que nos fala ao coração a quantia exata a ser doada, e ela não fará falta; ao contrario, trará um retorno abundante.
Quem pouco semeia também colhe pouco, pois essa colheita vem sem a abundância referida na Palavra. Por outro lado, aquele que não é regrado no dar e ofer…